Murumuru

Murumuru

Astrocaryum Murumuru

Nossas terras têm palmeiras, onde cantam os sabiás, mas com certeza eles preferem essa aqui; a Potira, flor do Amazonas. De grandes folhas pinadas, cândidas em sua face interior, gigante de até dez metros de altura, brava guerreira tupi, chamada murumuru na língua dos humanos, a doce manteiga de seus frutos é o tesouro maior da riqueza nacional.

Leitosa, macia e adocicada, a nata oleosa desse surpreendente espécime da floresta recupera a umidade e elasticidade natural da pele e dos fios de cabelo como nenhum outro ingrediente.

Altamente nutritiva e corretiva, com ela não tem balbúrdia, fios rebeldes, quebradiços, frizz e excesso de volume ficam pianinho com a maciez nívea dessa dadivosa iguaria.

Com seu aroma de manjar amendoado e sua baixa acidez, a manteiga de murumuru penetra profundamente nas camadas mais internas da epiderme, regenerando o tecido com suas propriedades antioxidantes e de hidratação intensa.

As cascas das sementes moídas são esfoliantes naturais e gentis para todos os tipos de pele e podem ser usadas sem culpa, afinal são biodegradáveis e férteis como nutriente para o ambiente onde são descartadas.