O consumo de produtos orgânicos deixou de ser um nicho exclusivo, para se tornar uma tendência entre os consumidores que se preocupam com o seu estilo de vida. Em busca de produtos com menos interferência de substâncias químicas, os consumidores mais exigentes que se preocupam com a saúde, e os mais conscientes, que pretendem mudar os hábitos de consumo, buscam por produtos diferenciados, levando em conta a procedência da matéria-prima utilizada.

Além dos alimentos, os cosméticos orgânicos vêm ganhando mais notoriedade entre os consumidores, mas às vezes confundindo a cabeça das pessoas: afinal, qual a diferença entre produtos orgânicos, naturais e veganos?

Leia nosso artigo para entender quais são as características que diferenciam uma categoria da outra.

Quais são as diferenças entre os cosméticos naturais, orgânicos e veganos?

Apesar de apresentarem propostas parecidas, ou seja, oferecer produtos de qualidade que estejam em harmonia com a saúde e o ambiente, uma pesquisa realizada no Brasil, mostrou que 84% dos entrevistados, consomem produtos orgânicos por motivos relacionados à saúde. Contudo, quando falamos de cosméticos naturais e veganos, as motivações são outras.

  • Os cosméticos orgânicos:

Um produto orgânico é aquele que é cultivado sem aditivos químicos, como pesticidas (veneno), ou que não seja geneticamente modificado. Encontramos muitos alimentos em supermercados que são cultivados dessa forma, como por exemplo, vegetais que não recebem agrotóxicos, ou até mesmo ovos, que são produzidos por galinhas que não recebem qualquer tipo de hormônio ou substância química.

No caso dos cosméticos orgânicos, não é diferente. Para ser regulamentado como um produto orgânico, é necessário que 95% ou mais dos seus componentes sejam orgânicos na receita. Em cosméticos com 70% a 95% de ingredientes orgânicos, é obrigatório que conste no rótulo a informação “Produto com ingredientes orgânicos”. Abaixo deste percentual, não é considerado de forma alguma.

Portanto, os cosméticos orgânicos são aqueles que possuem 95% ou mais dos ingredientes de sua composição, cultivados de maneira completamente natural, sem qualquer tipo de pesticida ao longo de toda a sua produção.

Para a certificação de um óleo essencial de lavanda, por exemplo, toda sua cadeia produtiva será inspecionada. Logo, além da lavanda ser orgânica, o processamento completo da planta (incluindo os produtos químicos utilizados no maquinário), também devem estar de acordo com os critérios. Ao final, uma auditoria é realizada para verificar o processo de envase – certificando que não há contaminação ou contato com substâncias não permitidas.

  • Os cosméticos naturais:

Para garantir a pureza de um cosmético natural, isto é, sem adição de substâncias químicas, itens diferentes dos contidos em produtos orgânicos são avaliados; são eles: a água, minerais e ingredientes de origem animal como agroingredientes fisicamente e quimicamente processados.

Além disso, as embalagens também são supervisionadas por órgãos reguladores que exigem que sejam recicladas, por pertencer a um conceito de preservação ambiental, reduzindo desperdícios e promovendo circulação de produtos. Para produtos naturais, os testes em animais são liberados quando não geram dor e sofrimento ao animal para ser extraído, como no caso de leite e mel.

  • Cosméticos veganos

Há muita confusão sobre os cosméticos veganos e naturais que são associados por muita gente, como a mesma coisa. Mas atenção, isso não é verdade!

Um cosmético vegano é garantido pelo não-uso de qualquer ingrediente de origem animal, ou seja, um produto 100% sintético, que não contém nenhum componente animal, é considerado vegano!

Para um cosmético oficialmente certificado como vegano, ele deve estar de acordo com as normas da Sociedade Brasileira de Vegetarianismo.

 

  • Certificação

Para ser um produto verde de verdade, é imprescindível a garantia de órgão regulamentador para poder atuar no mercado. No caso da AhoAloe, somos certificados pelo Instituto Biodinâmico – IBD, atendendo a todos os requisitos necessários. Produtos naturais/orgânicos certificados são:

  • Livre de químicos
  • Livre de testes e crueldade animal
  • Livres de transgênicos
  • Possuem ingredientes orgânicos em sua formulação
  • Utilizam embalagens recicláveis – no caso da AhoAloe, a maioria dos produtos são de embalagens biodegradáveis
  • Sócio sustentável – pratica a troca justa

 

  • Atente-se aos detalhes!

Para que você possa realizar um consumo consciente, é fundamental entender que cada categoria representa uma coisa. Um cosmético orgânico é necessariamente um cosmético natural, mas um cosmético natural, não significa que é orgânico!

O mesmo vale pros cosméticos veganos, pois muitos produtos naturais contêm ingredientes de origem animal; contudo, produtos veganos podem ser 100% sintéticos.

Devido à supervisão rigorosa que existe sobre toda a cadeia desses produtos (desde o início até o envase), todo o processo é feito de maneira respeitosa, o que nos proporciona benefícios que vão além do uso do produto, se estendendo ao meio ambiente, à natureza, ao mundo! E falando em benefícios, outra dúvida frequente surge nos consumidores, a respeito da qualidade dos produtos. Confira o artigo Cosméticos naturais são melhores do que os químicos?, em nosso blog, para conhecer ainda mais sobre o assunto!